18
dez

Relatório de Atividade – ATUALIZAÇÃO DO CENSO POPULACIONAL DO PATO MERGULHÃO

RELATÓRIO DE ATIVIDADE

ATUALIZAÇÃO DO CENSO POPULACIONAL DO PATO MERGULHÃO

(Mergus octosetaceus)

 

APA do Jalapão, Parque Estadual do Jalapão e limite da ESEC Serra Geral do Tocantins

 

RELATÓRIO DE ATIVIDADE

 Períodos: 02 a 06/07/2018 e 23 a 27/07/2018

Equipe: M.Sc. Marcelo Barbosa, Mestranda Aline Vilarinho (Naturatins) e Alexandre Resende (Veterinário Zooparque / Blue Stone)

Instituições colaboradoras: Instituto Natureza do Tocantins – Naturatins e Blue Stone Metals – Piracicaba/SP.

UC’s: APA do Jalapão, Parque Estadual do Jalapão e limite da ESEC Serra Geral do Tocantins.

 

Desenvolvimento

Durante o período de 02 a 06 de julho de 2018, técnicos do Naturatins (Marcelo e Aline) realizaram ida ao Jalapão para visitar por via terrestre áreas do Rio Novo da APA e PE do Jalapão com registro de ninhos/nidificação em anos passados, com o intuito de verificar a reutilização dos mesmos nessa época reprodutiva e ainda de estabelecer estratégias para a expedição que seria realizada na semana de 23 a 27/07/2018. Visitamos os locais de 03 ninhos da espécie no Rio Novo utilizados em 2015 (10°34’21,10″S/46°45’22,20″W) e 2017 (2 ninhos – 10°27’26,40″S/46°51’6,30″W e 10°37’50,50″S/46°45’13,10″W). Em apenas um dos ninhos houve uma verificação mais detalhada, com inspeção do interior da cavidade, a qual estava vazia, sendo este o ninho utilizado em 2017. Nos outros dois ninhos foi possível apenas uma verificação externa do local e observação da presença ou não do macho em vigília próximo ao ninho (Figura 1). Nesse caso, nenhum indivíduo foi visto nas proximidades dos outros ninhos. No dia 4 de julho detectamos um macho (Figura 10) no trecho do Rio Novo (10º33’47,87’’S/46º45’38,10’’W) nas proximidades da ponte sobre a TO-255. Provavelmente o macho pertencente ao Par 1 conhecido por habitar o trecho acima da ponte, conforme Barbosa et al. (2011, 2015) e Barbosa (2018). De 23 a 27 de julho de 2018, realizamos expedição com descidas ao longo de trechos dos rios Novo e Preto utilizando caiaques infláveis doados pela Blue Stone. O deslocamento até o local se deu por meio terrestre no dia 23/07 com a utilização de veículo 4×4, combustíveis e diárias de técnicos fornecidos pelo Naturatins como contrapartida. Nesse veículo, o qual foi conduzido pelo motorista Luiz Wanderley do Naturatins, estavam presentes o biólogo Marcelo Barbosa e o veterinário Alexandre Armando Netto, ambos membros do grupo assessor do PAN do pato-mergulhão. A expedição contou ainda com a participação de equipe da EPTV Campinas, afiliada da Rede Globo, do programa Terra da Gente, a qual se deslocou em veículo próprio para a documentação áudio/visual dos trabalhos. Toda a equipe ficou alojada nas dependências do Posto das Dunas, que contou também com o apoio e logística da equipe do Parque Estadual do Jalapão – PEJ.

No dia 24 de julho de 2018 efetuamos deslocamento para realizar descida com botes infláveis ao longo de um trecho do Rio Novo, nas proximidades da barra com o Rio Preto, limite da ESEC Serra Geral do Tocantins. Foi percorrido um trecho de cerca de 18 km com percurso seguido até a ponte sobre o rio Novo na TO-255 (Figura 2). Nesse trecho foram detectados dois grupos, sendo um par e um casal com 04 filhotes com cerca de 15 dias de desenvolvimento, de acordo com avaliação visual realizada no local. Nesse trecho, foi possível também verificar, por meio de inspeção mais detalhada do interior da cavidade, que houve a reutilização de ninho usado em 2015, o que não foi possível verificar na semana de 02 a 06/07/2018 quando o ninho foi revisitado por terra. No ninho havia plumas, cascas de ovos e dois ovos gorados, os quais foram coletados para análises com estudos de genética (Licença SISBio 26006-11). Essa reutilização de ninho é o primeiro fato verificado para a região do Jalapão, o que pode ser verificado em outras áreas de ocorrência da espécie.

No dia 25 de julho efetuamos descida ao longo de outro trecho do Rio Novo, que corresponde ao trecho à jusante da ponte sobre a TO-255 até área da Fazenda Progresso, perfazendo um total de 25,5 km. Nesse trecho foram detectados também dois grupos, sendo um casal com 06 filhotes com aproximadamente uma semana de vida e um par visualizado no final do percurso. Foi notório verificar a diferença de tamanho dos filhotes em relação ao grupo familiar detectado no dia e trecho anterior, sendo estes menores e mais recentes. Nesse trecho, também revisitamos outros dois ninho conhecidos e nenhum deles havia sido reutilizado (Figura 3).

No dia 26 de julho efetuamos descida ao longo de um trecho de cerca de 18 km do Rio Preto, limite com a ESEC Serra Geral do Tocantins e a APA do Jalapão (Figura 4). O trecho percorrido teve início em área do rio próxima à Sede Administrativa do Parque Estadual do Jalapão – PEJ (10º35’48,70’’S/46º30’31,35’’W) e foi previamente avaliado como sendo o trecho com maior potencial de ocorrência da espécie por apresentar trechos com corredeiras. Esse mesmo trecho foi percorrido em 2010 por Barbosa et al. (2015) e da mesma maneira que agora nenhum indivíduo foi detectado. O trecho apresenta características potencias, embora haja uma diferença notória em relação às características apresentadas pelo Rio Novo. O rio Preto é mais estreito de apresenta trechos variando de rasos e com água translúcida a trechos mais profundos e com visibilidade do fundo prejudicada, principalmente por apresentar compostos húmicos e macrófitas aquáticas de fundo e superficial (aguapés). Foi possível verificar algumas cavidades em potencial para a instalação de ninhos (10º37’21’’S/46º34’39’’W e 10º38’22’’S/46º37’17’’W). As cavidades estavam em áreas com boa visibilidade da coluna dágua e em trechos mais rasos do rio, com fundo verificado apresentando estrato areno-rochoso, semelhante ao encontrado no Rio Novo.

No mesmo dia 26 de julho, uma equipe do Naturatins que acompanhava voluntários na área do Rio Novo, nas proximidades da Cachoeira da Velha, visualizou e registrou um casal com 05 filhotes (Figura 5). Durante as observações, o grupo familiar foi visto forrageando muito próximo à cachoeira, que possui cerca de 10 a12 m de altura. Foi possível verificar que dois dos filhotes se afastou do grupo e foi levado pela água cachoeira abaixo, enquanto o casal e demais filhotes seguiam rio acima. Muito provável que esses dois filhotes não tenham conseguido se reagrupar aos demais do grupo e se possam ser contabilizados como uma perda natural. Ao que se sabe não havia nenhuma interferência e perturbação humana naquele momento que pudesse ser associada ao fato. Isso demostra a fragilidade dos filhotes nesses primeiros dias do desenvolvimento e a necessidade de controle de atividades ao longo dos rios que possam comprometer ainda mais a sobrevivência dessa ameaçada espécie.

No dia 27 de julho efetuamos retorno à Palmas.

Referências

Barbosa, M. O, Pinheiro, R. T & Carvalho, V. F. 2011. Descrição de ninhos do pato-mergulhão (Mergus octosetaceus) em cavidade arbórea na  região do Jalapão, Tocantins, Brasil. Cotinga 33: 71-75.

Barbosa, M. O, Pinheiro, R. T & Barbosa, K. V. C. 2015. Population estimate of Mergus octosetaceus in the Jalapão region, Tocantins, Brazil. Rev. Bras. Orn. 23: 417-427.

Barbosa, M. O. 2018. Novos registros de ninhos do peto-mergulhão Mergus octosetaceus na região do Jalapão, Tocantins, Brasil. Cotinga 40: 104- 108.

Figura 1 – Ninhos visitados e conhecidos no Rio Novo

Figura 2 – Trecho de 18 km do Rio Novo percorrido em 24 de julho de 2018.

Figura 3 – Trecho de 25,5 km do Rio Novo percorrido em 25 de julho de 2018.

Figura 4 – Trecho de 18 km do Rio Preto percorrido em 26 de julho de 2018.

Figura 5 – Mapa geral das expedições de julho de 2018 realizada na região do Jalapão – Tocantins mostrando os trechos percorridos, os grupos detectados e ninhos conhecidos e visitados.

Figura 6 – Equipe Blue Stone, Naturatins e Terra da Gente

Figura 7 – Caiaque inflável doado pela Blue Stone e utilizado na expedição

Figura 7 – Equipe Naturatins percorrendo o Rio Novo

Figura 7 – Equipe Naturatins percorrendo o Rio Novo

Figura 8 – Cavidade potencial identificada no Rio Preto (visão fechada)

Figura 8 – Cavidade potencial identificada no Rio Preto (visão aberta 2)

Figura 9 – Cavidade potencial identificada no Rio Preto (visão aberta)

Figura 9 – Cavidade potencial identificada no Rio Preto (visão fechada)

Figura 10 – Indivíduo macho adulto visualizado no dia 4 de julho de 2018 nas proximidades da ponte sobre o rio Novo na TO-255.

Figura 11 – foto Alexandre Resende. Casal de Pato mergulhão com 04 filhotes no Rio Novo, trecho cerca de 18 km com percurso seguido até a ponte sobre o rio Novo na TO-255 (Figura 2).

Figura 12 –Foto Alexandre Resende. Casal de Pato mergulhão com 06 filhotes no Rio Novo, trecho à jusante da ponte sobre a TO-255 até área da Fazenda Progresso.

Figura 13 – Foto Alexandre Resende. Ducks doados pela Blue Stone Metals para Naturatins e pesquisador Marcelo Barbosa.

AGRADECIMENTOS AOS ENVOLVIDOS NA EXPEDIÇÃO